sábado, 5 de maio de 2012

O GARIMPEIRO








Garimpo de pedras garimpo de consciência: Veja a nossa História retratada em obra de arte.

       Quem vem até a nossa cidade de Padre Paraíso percebe que se encontra hoje na entrada da cidade uma maravilhosa obra de arte onde retrata a família de um garimpeiro que pelas circunstância sociais e econômica é obrigado a deixar a família para  a caça dos inusitadas pedras preciosas que poderão ser a redenção   social e individual de sua família.


            O trabalho duro e os constantes riscos advindo de luta e da bravura rumo a esta abstenção pela busca de melhores condições de vida, faz do garimpeiro um símbolo de referência de luta para nosso povo. O estigma e o preconceito impresso à imagem do  garimpeiro como homem aventureiro, estende-se hoje a todos os  trabalhadores de Padre Paraíso e do  Brasil, que pelas circunstâncias sociais, politicas e econômicas do momento, não mais nos permite fazer previsões  segura a respeito de nosso trabalho e dos resultados advindo do mesmo. Neste sentido, todos somos garimpeiros aventureiros.

            A nossa vida  se assemelha  a um   grande garimpeiro, todos  apostam num futuro melhor e  jogam em  busca disso. Os túneis  escuros,  os calos nas mãos  misturam-se com as escolhas que fazemos em nossas  vidas que nem sempre são muito claras e confortáveis, mas que dão sentido a nossa existência  e dos nossos  sonhos fortalecendo nossa fé empurrando-nos em direção de querer encontrar algo de melhor na vida e para nossa  comunidade. Com  isso, emana do interior da terra e da nossa alma as força necessárias para superarmos a escuridão dos tuneis da vida, riscos e as dificuldades das imensas barreiras .
            Indo em direção a uma luz que sempre surge no fim do árduo trabalho.
            A luz de inicio representa o cascalho a onde a pedra preciosa se encontra misturada com outras pedras não preciosas.
            Após a lavagem, emerge do meio de outras pedras a maravilha que todos os garimpeiros procuram: a água marinha ou crisoberilo. Neste momento, não importa muitas vezes o tamanho ou a cor da pedra. Sai de dentro da alma do garimpeiro a sensação de que valeu a pena acreditar, apostar, ter esperança.
            Dai o significado da segunda obra de arte que se encontra na entrada da cidade de Padre Paraíso para quem vem do Nordeste em direção ao sul do país.
            O garimpeiro volta á sua casa com a pedra preciosa para entregá-la a família.
            A obra de arte muitas vezes não só retrata a realidade como também expressa desejos de como gostaríamos que ela fosse. A busca pela pedra preciosa  que outrora  dispersam a família ,torna-se elo de ligação aglutinação  da mesma. A pedra neste sentido é muito mais que um simples mineral, ela transcende o seu  significado revelando o próprio sentido de nossa existência .A verdadeira  água marinha e o crisoberilo é o nosso povo. Precisamos de muitos garimpeiros de alma que cultive a nossa cultura que acreditem que muitas pedras preciosas estão por vir do interior de nossa terra, através do trabalho de nossa terra, através do trabalho de nossos educadores, de nossos agentes sociais, de nossos lideres etc. É preciso criar igualdade de oportunidade a todos.
            Quantos talentos estão escondidos igualmente às pedras Preciosas? Preciso de gente que tenha persistência igual aos garimpeiros, precisamos fazer de padre paraíso verdadeiro garimpo de talentos. E que a imagem preconceituosa referente ao garimpeiro, venha transformar-se naquele que é capaz de acreditar nos seus sonhos, na sua força e sobre tudo em maravilhas que o olho físico não vê.


Professor: Manoel Viana de Souza.



              





Obs: Texto inédito encontrado numa Agenda de Manoel Viana de Souza, que aqui publiquei com a autorização de sua família.

Fotos e postagem: Valseque Bomfim