quarta-feira, 8 de outubro de 2014

LATROCÍNIO NA ZONA RURAL DE PADRE PARAÍSO



Em 05/10/2014, por volta das 20h50min, na cidade de PADRE PARAÍSO, a guarnição composta pelo 1º TEN SANDRO, 3º SGT JÚNIOR e SD FABIO, foi acionada a comparecer ao Córrego da Lagoa, s/n, Zona Rural, onde segundo relato da equipe do SAMU, havia um cidadão com lesões causadas por golpes de faca. A guarnição deslocou ao local, onde os socorristas já havia examinado o cidadão, constatando que ele estava sem vida, identificando-o através de familiares, como sendo o SR. JOSÉ GONÇALVES BORGES, 42 anos. Ainda no mesmo local, também foi socorrida e encaminhada ao hospital local, a SRA. CLEIDE GOMES DA SILVA, 26 anos, com um corte-contuso no couro cabeludo, esposa da vítima em óbito. No local, foi verificado que havia um veículo automóvel Fiat Strada/Working, placa PUM 7767 e este estava com o fundo chocado contra uma arvore e tinha ambos os vidros das portas quebrados, além de diversos arranhões em ambas as portas. Segundo a testemunha do SR. GERALDO FERREIRA RAMALHO, 51 anos, estava em sua residência, quando ouviu um forte barulho, aparentando ser de um veiculo e, após alguns instantes, escutou uma voz feminina gritando por socorro; que então, foi até lá e encontrou sua conhecida a SRA. CLEIDE com o rosto coberto de sangue, sentada com uma criança, filha dela, chorando e gritando, dizendo que seu esposo, estava morto; que saiu e chamou sua esposa que de imediato, fez contato telefônico com o SAMU. Ainda segundo a testemunha, enquanto aguardava socorro, a Sra. CLEIDE narrou-lhe que estava deslocando no automóvel retro mencionado em companhia do seu esposo Sr. JOSÉ GONÇALVES e da filha do casal, uma criança de dois anos de idade; que ao chegarem em uma cancela, ela desceu para abrí-la e foi surpreendida por dois indivíduos, que anunciaram um assalto, determinando a entrega do dinheiro; que tais indivíduos, ameaçando-lhes de morte, efetuaram diversas pauladas contra o veiculo, danificando os vidros das portas; que ela conseguiu entrar no veículo e seu esposo, efetuou uma manobra de marcha-à-ré, chocando a traseira contra uma árvore, o que acabou por impedir o movimento do veículo; que após isso, um dos indivíduos agarrou seu marido pela camisa e exigiu a entrega do dinheiro; que seu esposo se atracou com este autor e ambos, fora do veiculo, entraram em luta corporal, os quais cairam em um mato, às margens da estrada; que enquanto isso, o outro autor ameaçava ela de morte, caso não fizesse a entrega do dinheiro, golpeando-a por duas vezes na cabeça, usando um pedaço de madeira; que então gritou por socorro, e o indivíduo que estava lhe agredindo, evadiu do local; que procurou por seu marido no mato, encontrando-o sem vida e com diversas perfurações pelo corpo; que o responsável pela morte do seu marido também evadiu do local de motocicleta; que não foi possível reconhecê-lo. Os militares isolaram o local e acionamos a perícia técnica, tendo comparecido o perito CARLOS EDUARDO BARROS, MASP 1241706-9 e, em uma análise preliminar, identificou que a vítima sem vida tinha 11 perfurações espalhadas pelo tórax, pescoço e principalmente nas costas. Após periciado, o corpo foi encaminhado ao IML da cidade de Teófilo Otoni, pela funerária Teófilo Otoni. A guarnição deslocou no hospital, onde estava a vítima Sra. CLEIDE relatou os fatos em conformidade com o relato da testemunha GERALDO. Ao ser questionada sobre o fato, a Sra. CLEIDE disse que por volta das 16h, teria ido junto com o seu marido até a residência de um cidadão conhecido pela alcunha “Landão”, que mora no Córrego Encachoeirado; que seu marido vendeu um terreno para “Landão”; que o negociaram pelo valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais); que "Landão" passou a quantia de R$ 8.000,00 (oito mil reais) ao marido dela e um cheque, não soube dizer o valor; que “Landão” falou para que ele voltar lá mais tarde para repassar o restante do combinado; que já por volta das 20h, retornaram à residência deste cidadão e, neste momento, estranhou a atitude dele, pois perguntou se o marido dela havia conferido o dinheiro, por diversas vezes, pedindo para ele conferir naquele momento na frente dele; que “Landão” falava em um tom de voz alto, parecendo que quisesse que outras pessoas ouvissem o que ele falava; que havia alguns indivíduos, os quais ela não conhece, estavam no quintal da residência de “Landão”; que após conferir a referida quantia, este disse ao marido dela que não tinha o restante do dinheiro e pediu-lhe um prazo para o pagamento; que a vítima concordou e foram embora da residência de “Landão”; que no caminho foram abordados e assaltados; que a quantia em dinheiro estava com ela e não foi subtraída. Diante da suspeição levantada pela vitima, os militares deslocaram até o referido local porém não localizaram a residência e nem o indivíduo conhecido por “Landão”. Foi registrado B.O PM de nr.1251/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário