sexta-feira, 12 de junho de 2015

Homicídio em Padre Paraíso -



















Em 11 de junho de 2015, na cidade de Padre Paraíso, uma guarnição policial-militar foi acionada a comparecer na Avenida Minas Gerais, onde segundo informações, às margens de um córrego, havia um homem caído e em torno dele havia muito sangue. 

Uma unidade do SAMU compareceu ao local e constatou o óbito do referido cidadão que estava caído em decúbito ventral com um afundamento na face. Em volta do crânio, havia uma grande quantidade de sangue.

Um pouco mais afastado do corpo, em um acesso a outra via, havia um boné caído e um rastro de sangue, aparentando ter sido o corpo arrastado até um pequeno matagal. Já próximo ao córrego, encontraram uma madeira com aproximadamente 02 (dois) metros de comprimento, com marcas de sangue em uma da extremidades. 

O corpo foi identificado com o de RCM, 38 anos. 



O local foi isolado e a Perícia Técnica foi acionada. Outras guarnições da Polícia Militar saíram em rastreamento e com o apoio da Polícia Civil desta urbe obtiveram êxito ao final do dia em capturar e prender dois supostos autores do homicídio. 

Um deles, ITO, estava com uma bermuda com mancha de sangue; o outro, LRS, com um cordão da vítima. Segundo informações dos supostos autores, estes e a vítima estavam em um bar e se deslocaram pela Avenida Minas Gerais. 

O fato ocorreu por volta de 01h30 e ambos teriam golpeado a cabeça da vítima utilizando um pedaço de madeira. Os supostos infratores são conhecidos no meio policial pela prática de outros delitos. Guarnição deslocou-se até a residência do suspeito LRS e ao questioná-lo, no portão de entrada de sua residência, sobre o homicídio, este, após entrar em diversas contradições, descreveu que estava no Bar tomando cerveja em companhia de um cidadão conhecido pela alcunha “G”, o qual reside nesta cidade na rua Teófilo Otoni.

ITO chegou ao bar muito “doidão” e chamou a vítima, que se encontrava nos fundos do mencionado estabelecimento. A vitima saiu do bar e começou a conversar com ITO e, em seguida, iniciou uma discussão entre Ito e a vítima. 

O bar foi fechado. Os três, LRS, ITO e a vítima seguiram pela avenida Minas Gerais, caminhando sentido bairro Pantanal. Ito, então, tomou um celular da vítima e saiu caminhando em frente.

A vítima seguiu 'Ito' e pediu para que ele devolvesse seu celular. ITO arrancou um pedaço de madeira de uma barraca de comércio às margens da rodovia e desferiu vários golpes contra a cabeça da vítima. 

Mesmo após esta já estar caída, desacordada e sem reação o suspeito ITO ainda desferiu outros golpes contra ela. 

ITO ameaçou de morte LRS caso delatasse os fatos e ainda lhe deu um cordão na cor prata que estava no pescoço da vítima. Após o ocorrido, ambos evadiram do local.

ITO trajava uma bermuda azul e um casaco marrom.

No interior do quartel da Polícia Militar, LRS pediu para ir ao banheiro e jogou um cordão de cor prata dentro da lixeira. 

Em seguida, confessou ter jogado o citado objeto na lixeira, dizendo era o cordão que fora subtraído da vítima. 

Face ao relato de LRS, a guarnição saiu em rastreamento do suposto autor, ITO, quando o localizaram sentado na praça do bairro Vila Vieira, trajando uma bermuda azul, com uma marca avermelhada, semelhante a sangue, porém um pouco mais clara, levando a crer que poderia ter sido lavada, tendo ele negado a autoria do crime e qualquer outro tipo de contato com vítima, todavia, em seguida, afirmou ter estado no Bar , juntamente com LRS e a vítima, e que caminharam até entrada da Vila Vieira em seguida, LRS e a vítima seguiram em frente rumo ao lugar onde se deu a ação delituosa e na ocasião trajava uma bermuda azul e um casaco da cor marrom. 

Em decorrência dos fatos, ITO e LRS foram conduzidos à presença da Autoridade Policial.